fbpx

Como funciona o algoritmo do Instagram (atualizado 2020)13 minutos de leitura

Entenda como o algoritmo do Instagram decide quais posts cada usuário vê e os principais mitos e verdades sobre o alcance das publicações na rede social.

Escrito por: Alexandre Spada | Publicado em: 07/04/2020

Como o algoritmo do Instagram funciona? Como ele distribui conteúdo para seus usuários? Por que vemos as publicações sempre das mesmas pessoas e nunca de todas as que seguimos?

Se você usa a rede social com frequência provavelmente já deve ter se questionado a respeito e, se utiliza o Instagram para fins comerciais, possivelmente muitas outras indagações fazem parte do seu dia a dia, como por exemplo:

Vídeos performam melhor que fotos?

Como aumentar o alcance de publicações e fazer com que elas impactem mais pessoas?

Utilizar hashtags (#) ajudam ou não?

Sem dúvida estas são questões que causam confusão desde que, em 2016, o Instagram abandonou a exibição cronológica de publicações e adotou algoritmos para decidir o que cada usuário vê em seu feed.

O que é o algoritmo do Instagram?

Antes de falarmos sobre o que é o algoritmo do Instagram, vamos entender o que é um algoritmo.

Um algoritmo é uma sequência de ações que visam obter uma solução para um determinado problema.

A grosso modo, um algoritmo pode ser entendido como uma receita de bolo, ou seja, como uma sequência lógica e sistêmica de instruções que tratam dados (ingredientes) gerando resultados específicos (bolo).

Assim, o algoritmo do Instagram é um conjunto de regras organizadas em forma de processos que avaliam cada perfil na rede social, e com base em critérios predefinidos, decide quais publicações aparecerão em seu feed.

Por que o Instagram precisa de um algoritmo?

Não somente o Instagram, mas a grande maioria das redes sociais como por exemplo o Facebook com o seu Edgerank, possuem algoritmos que gerenciam os feeds de seus usuários. A problemática para sua implementação está baseada basicamente em 2 fatores: o excesso de informação e a monetização.

Excesso de informação

Diante da grande quantidade de conteúdo em diversos formatos produzidos diariamente, usuários de redes sociais tendem a sofrer sobrecarga de informação quando não há nenhum tipo de curadoria.

Imagine se você visualizasse todas as publicações de todas as pessoas que você segue no Instagram tendo a cronologia como único critério de organização…

Como todos temos níveis variados de afinidade com pessoas e assuntos, provavelmente correríamos o risco de ter contato com publicações pouco interessantes para nós nos momentos em que estivéssemos navegando pela rede social.

Esse contato frequente com conteúdo pouco atrativo poderia nos levar a buscar outra fonte de entretenimento e, considerando as redes sociais como negócios, isso seria péssimo!

Assim,  o algoritmo do Instagram e de redes sociais em geral, tem como principal objetivo reter seus usuários, usando como artifício para isso a personalização da experiência de cada um, buscando torná-la a mais interessante e agradável possível.

Monetização

Embora hajam divergências sobre este percentual e algumas variáveis incidam sobre ele, estima-se que em média, apenas 10% dos seguidores de um perfil no Instagram vejam o que ele publica organicamente, ou seja, sem que ele pague por isso.

A redução do alcance das publicações se dá também pela utilização de algoritmos, e os engenheiros responsáveis por eles alegam que essa medida existe para reduzir o excesso de informação e tornar mais agradável o uso da rede social.

Mas, sabemos que não é só por isso!

O modelo de negócios de redes sociais como o Instagram é baseado na geração de receita pela exibição de anúncios.

Se todos os seguidores de um perfil visualizassem tudo que ele publica, as empresas precisariam apenas concentrar seus esforços na captação de novos seguidores, o que tornaria dispensável que pagassem por anúncios.

Como funciona o novo algoritmo do Instagram?

O novo algoritmo do Instagram foi desenvolvido, como citei anteriormente, para atacar os 2 principais problemas de redes sociais: o excesso de informação e a monetização.

Para isso, exerce o papel de um curador de conteúdo, criando feeds personalizados onde cada post exibido é escolhido de acordo com a sua probabilidade de agradar a quem o verá.

Mas, como “prever” quais publicações tendem a agradar mais e menos cada usuário?

Especificamente no Instagram, as regras que realizam tais “previsões” baseiam-se em 4 principais pilares, sendo:

1. Interesse;

2. Relacionamento;

3. Cronologia e;

4. Frequência de uso.

Antes de abordar cada um dos 4 pilares é importante observar que o algoritmo do Instagram é desenvolvido com aprendizado de máquina (Machine Learning), o que significa que quaisquer novos padrões ou tendências comportamentais de um usuário serão levados em consideração para criação do seu feed.

Além disso, os algoritmos das redes sociais em geral, passam constantemente por mudanças. Portanto, para não perder performance em seu perfil, fique sempre atento às novas atualizações!

1. Interesse

O algoritmo do Instagram analisa o quanto seus usuários se importam com assuntos e pessoas.

Quanto mais ele acreditar que um usuário “gostará” de uma publicação, maior será a chance dela aparecer em seu feed.

Para chegar a tal conclusão, o algoritmo se baseia nas interações passadas de cada usuário na rede social, buscando identificar seu nível de interesse sobre cada assunto.

Outro critério considerado é quem publicou o conteúdo que gerou a interação.

Muitas vezes, o envolvimento com um conteúdo tem mais relação com quem o publicou do que com o assunto propriamente dito. Mas, isso veremos em detalhes no próximo pilar, o Relacionamento.

Retornando ao Interesse, resumidamente nosso feed é composto por um compilado hierárquico dos nossos comportamentos:

Nós vemos em nosso feed publicações dos usuários com quem mais interagimos, ou seja, dos que mais assistimos vídeos, comentamos e curtimos posts. Mensagens por direct e visualização de stories também contam!

A relevância das interações

No que diz respeito ao desempenho de um post, sabemos que o algoritmo prioriza a exibição de conteúdos que recebem mais envolvimento.

Mas, quais envolvimentos são mais relevantes? Existem pesos diferentes para cada um deles?

De acordo com o Instagram, sim!

Os envolvimentos mais relevantes para o algoritmo são: compartilhamentoscomentários curtidas. Nesta ordem!

Para publicações em vídeo, o número de visualizações  é o critério mais relevante.

Embora pouco esteja se falando sobre o assunto, outro  indicador positivo de engajamento de um post para o Instagram é o número de vezes que ele foi salvo por usuários.

Assim, quanto mais um conteúdo é salvo, mais o algoritmo acredita em sua relevância, passando a exibi-lo com mais intensidade.

Instagram - Como salvar um post

2. Relacionamento

O algoritmo do Instagram deseja priorizar a exibição de publicações de amigos, familiares e perfis que realmente sejam importantes para os seus usuários.

Para isso, ele analisa todas as interações realizadas na rede social para tentar entender quais pessoas parecem ser mais próximas umas das outras.

Por exemplo, se você comenta com frequência fotos de alguém ou é marcado nelas, isso sinaliza ao Instagram que provavelmente são amigas, ou até mesmo, fazem parte da mesma família.

Segundo Thomas Dimson, engenheiro de software  da rede social,  o algoritmo do Instagram avalia para isso elementos como:

– Com quem interagimos, aplicando os critérios de relevância (citados acima) a cada interação;

– Quais perfis ou posts buscamos diretamente na rede social;

– Interação real, ou seja, ações que mostrem que os usuários se conhecem e também interagem fora da internet.

Tudo que mencionei até aqui reforça a ideia de que o comportamento de cada usuário é determinante para que o algoritmo defina o que irá exibir em seu feed.

Quer uma prova disso?

Você já percebeu que, logo após seguir alguém, o conteúdo dessa pessoa passa a ser exibido com frequência em seu feed? Mas, que a medida que não se envolve com ele,  gradativamente os posts desta pessoa somem?

Isso acontece porque ao não engajarmos, sinalizamos ao Instagram que talvez não estejamos mais tão interessados no que este usuário publica.

É por esta razão que manter a consistência e a qualidade das publicações é importante! Ela mantém um perfil na mente dos seus seguidores e auxilia que com o engajamento também se mantenha constante.

3. Cronologia

O algoritmo do Instagram não apenas presta atenção à quantidade de engajamento que uma publicação obtém, mas também, há quanto tempo ela foi postada.

Desse modo, conteúdos recentes ganham prioridade para exibição, porém, desde que atendam também aos critérios de Interesse e Relacionamento.

Por isso vemos muitos especialistas recomendando horários específicos para publicar. E eles estão corretos em tentar encontrá-los!

Se um usuário publica em um horário onde a maior parte dos seus seguidores está navegando pela rede social, pelo critério da Cronologia, ele tem mais chances de ter seu conteúdo exibido no feed dos seus seguidores.

Aqui, cabe ressaltar que cada marca, segmento e público-alvo podem se comportar de maneira diferente. Portanto, é importante investir tempo em testar dias da semana e horários para encontrar as janelas de publicação ideais para cada negócio.

4. Frequência de uso

A Frequência de Uso do algoritmo do Instagram é um dos pilares mais simples de entender, pois ela está diretamente ligada ao pilar anterior, a Cronologia.

Alguém que passa muito tempo navegando pela rede social consome mais conteúdo que alguém que passa menos tempo nela, concorda?

Desse modo, para abastecer o feed dos heavy users (usuários muito frequentes), o algoritmo torna-se menos restritivo em relação ao Interesse e Relacionamento, favorecendo o pilar da Cronologia.

Por outro lado, o oposto ocorre com os light users (usuários casuais), cujos conteúdos vistos passam por avaliações mais criteriosas. Tudo para que o pouco tempo na rede social traga a melhor experiência possível.

Mitos e verdades sobre o algoritmo do Instagram

Em se tratando do algoritmo do Instagram, vejo a todo momento muitos mitos (baseados em achismos ou interpretações equivocadas) sendo disseminados como verdades.

Em uma série de stories da conta @creators, a própria rede social orientou seus seguidores e elucidou muitos desses mitos. Vejamos alguns deles…

Fotos e vídeos são tratados da mesma forma?

Segundo a rede social, sim! Não existe distinção de tratamento entre fotos e vídeos pelo seu algoritmo.

No entanto, o que ocorre é a  priorização de conteúdos com maior engajamento, logo, se os seguidores de um perfil passam mais tempo interagindo com vídeos, provavelmente este formato ganhará prioridade em seu feed.

Interações automatizadas contam como indicador real de interesse?

O algoritmo do Instagram é desenvolvido com base em tecnologias como Machine Learning e Inteligência Artificial capazes de identificar quando uma interação não é real.

Desse modo, o uso de bots (robôs) para gerar interações falsas, como a visualização de stories, comentários e curtidas, não é bem visto pela rede social. Tais envolvimentos são classificados e identificados como fake, e em virtude disto, não trazem nenhum benefício.

Segundo o Instagram a melhor maneira de criar um envolvimento sustentável é ser autêntico e transparente. Tentar enganar o sistema não funciona!

Qualquer tipo de comentário conta como envolvimento?

Um dos mitos mais antigos sobre o algoritmo do Instagram é que ele não considera como engajamento comentários com menos de três palavras.

A verdade é que todos os comentários são levados em consideração, mesmo que sejam formados por apenas um emoji.

Perfis pessoais e comerciais possuem alcance diferente?

Muitos usuários do Instagram ficam receosos em alterar seu perfil pessoal para comercial ou criador de conteúdo por medo de que isso possa afetar o alcance das suas publicações. Eu mesmo fui um deles!

Se você se encaixa neste perfil, fique tranquilo! O Instagram confirmou que todos os tipos de conta são tratados da mesma maneira pelo seu algoritmo.

Portanto, se você atua profissionalmente na rede social, altere sua conta para comercial ou criador de conteúdo e usufrua de seus benefícios.

Conclusão

Seja qual for a mídias social escolhida por você, antes de formular sua estratégia entenda em detalhes o seu funcionamento, e isso implica em compreender como o seu algoritmo trabalha.

Os algoritmos são os responsáveis por determinar quem realmente verá o conteúdo publicado por você, portanto merecem estudo para que os resultados esperados sejam alcançados.

À medida que os algoritmos evoluem,  as táticas e estratégias de marketing de hoje podem se tornar menos eficazes amanhã. Por isso, é preciso que sua estratégia em cada plataforma também evolua constantemente.

No Instagram, em particular, simplesmente postar regularmente não garante que o seu conteúdo sempre atinja o público-alvo.

Pelo contrario, publicar sem focar em construir relacionamentos verdadeiros e entregar valor irão mais prejudicar que ajudar sua estratégia, uma vez que não gerarão interesse e engajamento!

Até o próximo post… 😉

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Alexandre Spada

Alexandre é consultor, empresário, professor universitário, Mestre em Design, Tecnologia e Inovação; Master in Business Administration em Gestão Estratégica de Negócios, Especialista em Engenharia Web e Bacharel em Ciência da Computação.

icone-news

Atualize-se!

Seja avisado sobre os novos posts do blog.

Trilha de Conhecimento

Avance neste assunto com a leitura do post a seguir:

You cannot copy content of this page